segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Pobres vão existir pra sempre?

por betinho

Pobre, ser ou não ser, eis a questão!

Ao lermos o capítulo 15 de Deuteronômio (o último livro do Pentateuco), vemos a questão dos pobres. Eles vão sempre existir ou não vão existir? No versículo 4 lemos: Assim, não deverá haver pobre algum no meio de vocês... e no versículo 11: Sempre haverá pobres na terra... Como fica essa história? Dois versos tão próximos, escritos pelo mesmo autor, a saber Moisés, teria ele errado em um deles? E os pobres nessa situação, tem esperança para eles? Eles existem?

Aqui temos uma questão delicada e muito triste. O mundo de hoje com toda a sua grande melhoria tecnológica em todos os assuntos, até em tecnologia de alimentos, ainda assim conta com milhares de pessoas que passam fome e a pobreza continua crescendo.

Para solucionarmos esse pobre tema, como na maioria dos casos, basta olharmos atentamente para o contexto. A promessa do versículo 4 está intrinsecamente ligada ao versículo 5: Contanto que obedeçam em tudo ao SENHOR, o seu Deus, e ponham em prática toda esta lei que hoje lhes estou dando. Um dos mandamentos existentes no Antigo Testamento (que nós infelizmente negligenciamos muito hoje em dia) se refere ao empréstimo liberal, com mão aberta ao que precisa, ao necessitado (Dt 15:8).

Sendo assim é óbvio que se esse mandamento fosse cumprido, para cada pessoa pobre, haveria uma nobre que a ajudaria em suas necessidades, sendo assim, o pobre não seria mais pobre, pois seria socorrido por um mais favorecido, um nobre. Inversamente a isso, se o mandamento (de ajuda liberal) não fosse cumprido, então os pobres nunca deixariam de existir, conforme relatado no versículo 11. Deus prometeu que, se as pessoas obedecessem a seu mandamento de suprir as necessidades do pobre, não haveria pobres no meio delas!

É interessante notarmos o sentido mais adequado do hebráico que está na NVI. No versículo 4 , ela não diz “não haverá pobre” ela diz “não deverá haver pobre no meio de vocês”. Quer dizer, não há razão para ter pobre, pois há recurso, há comida, há benção de Deus e a provisão divina através do mandamento dos versos subseqüentes é suficiente. Então o que acontece é que infelizmente a ganância, cobiça, exploração do homem pelo homem produz a perpetuação da pobreza.

Mais uma vez podemos ver que não há contradição. A única razão para que haja essa contradição, é se nós não cumprirmos os mandamentos que Deus nos legou de sermos liberais em dar do que o Senhor tem nos dado.

* todas citações bíblicas foram extraídas da Bíblia NVI (Nova Versão Internacional).

Um comentário: